04
Jun
07

Foi há 18 anos.

China

A 4 de Junho de 1989, a violenta carga policial sobre estudantes e outros manifestantes pacíficos na Praça de Tiananmen, em Pequim, acabou por resultar em centenas de mortos e feridos. No dia em que o massacre de há 20 anos é recordado, continua sem se saber o que fizeram as autoridades chinesas para corrigir o sucedido.
Hoje em dia, as autoridades deixaram de classificar o incidente como uma “rebelião contra-revolucionária”, passando a denominá-lo de “incidente político”. E continuam sem responder aos apelos de justiça por parte das vítimas ou familiares do massacre de Tiananmen.

Tiananmen 89

Até agora, as autoridades nunca levaram a cabo um inquérito ao incidente de 4 de Junho de 1989 tendo em vista a responsabilização por violação dos direitos humanos e providenciando uma compensação para as vítimas e suas famílias.
O Governo chinês continua a evitar o debate público do sucedido, mantendo-se o “incidente apagado” das revistas, jornais, manuais de estudo e sítios da internet na China.
Numa altura em que se assinala o 18o aniversário do massacre de Tiananmen, a Amnistia Internacional já pediu às autoridades chinesas que assegurem o respeito pela liberdade de expressão e informação, levantando a censura sobre a discussão e relato dos eventos trágicos de 4 de Junho.
Pensa-se que dezenas de pessoas continuam presas na China, por terem estado envolvidas no movimento pró-democracia de 1989, mas os serviços oficiais de estatística ainda não divulgaram o número exacto. A AI veio também exigir a libertação destes presos, porque tal constituiria já um passo importante rumo à transparência e responsabilização. Entre os prisioneiros, contam-se activistas e jornalistas, considerados pela AI como “prisioneiras da consciência”.
A Associação tem exigido às autoridades chinesas que terminem o assédio policial e a detenção arbitrária dos defensores dos direitos humanos, muitos dos quais por quererem assinalar o massacre de Tiananmen. É o caso de Qi Zhiyong, ferido na perna durante o massacre de 1989, e que continua sob vigilância policial, em Pequim, por ter apoiado manifestantes presos pela sua participação na manifestação de Tiananmen.
(aqui)

Mais info:

Reportagem CBC

Praça Tiananmen a 360º

Teixeira

Anúncios

3 Responses to “Foi há 18 anos.”


  1. 1 Ronin
    Junho 4, 2007 às 8:58 pm

    Um novo mundo chamado China…

    Ronin

  2. 2 Mariana Peixoto
    Setembro 16, 2007 às 5:43 pm

    Estava a fazer um documentário para as minhas aulas de 11º ano, e entrei nesta página, está espectacular a forma como descreveram este caso,confesso que fico “revoltada” com o que vi em cima =| parabéns ao publicador !!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Desde 19-Maio-2007

Andaram por aqui…

Arrochadas Anteriores

Prémios


Arrochadas Mais Populares

Blog Stats

  • 64,799 hits

Ferramentas Internas

Outras Coisas


%d bloggers like this: